Gastronomia

Jamón Ibérico Premium de Bellotas, 5 estrelas com 60 meses de cura, safra 2010

Por  | 

Iguaria catalã Premium chega ao Brasil pela primeira vez. Jamón Ibérico Premium, com 60 meses de cura, safra 2010 chega a São Paulo nesta semana.

A Casa Flora está trazendo pela primeira vez uma versão premium do Jamón Ibérico, e estas peças são safradas, acredite ou não, jamón também tem safra, e estes são 2010. É um produto único, exclusivo e nunca veio para o Brasil. Segundo o produtor, devido a raridade deste produto, nunca antes chegou ao Brasil.Uma rara oportunidade de se degustar o que há de melhor na Espanha. A produção é artesanal e familiar. o Sr. Ramón Llorens, dono da empresa, vive parte do ano por aqui, parte do ano em Barcelona. A empresa é dele, uma empresa familiar com 35 anos de vida, administrada por ele e pelos dois filhos que moram na Espanha.

Jamon Ibérico Premium Homenage – 5 estrelas – 60 meses de curação, safra 2010.

Trata-se de um tesouro da gastronomia espanhola nunca antes presente no mercado brasileiro. Será a primeira vez que o produtor Josep Llorens traz um jamón com 60 meses de curação. Outros produtos da linha, como o Pata Negra 3 estrelas, o fue catalão, etc…, já estão no Brasil há bastante tempo e são muito bem aceitos pelo consumidor devido a alta qualidade, embora seja um pouco mais caro que a concorrência, a Casa Flora vende muito bem esses produtos todos.

É um produto nobre, de produção anual muito limitada pelas condições climáticas e pela quantidade de Bellotas nos campos. Consequentemente, cada safra selecionada de Josep LLorens é única, com propriedades organolépticas exclusivas e especiais, marcando cada peça como “edição limitada”. A elaboração deste presunto premium corresponde a um lento e meticuloso envelhecimento em caves escuras e silenciosas, onde a peça permanece a uma temperatura controlada e constante podendo superar os 60 meses de curação, esta safra tem exatos 60 meses. Uma particularidade desta safra 2010 diz respeito as Bellotas. Foi um ano de uma produção intensa de Bellotas, o que permitiu aos porquinhos se fartarem de comer as castanhas. Consequentemente, não foi necessário um complemento muito grande com ração e outros suplementos. Mas isso tudo, o sr. Ramón pode te contar em detalhes.

Segundo ele me disse, é muito raro ter uma produção tão grande de Bellotas, então, essa safra 2010 foi, realmente, especial. A consequência disso está na qualidade do Pata Negra dessa safra. Segundo ele, muito superior a de outros anos, especialmente com uma curação tão longa. É a máxima expressão ibérica agora a disposição do consumidor brasileiro. Um verdadeiro tesouro espanhol. Tá certo que o preço também é compatível com os 60 meses de espera…..

Segundo Ramon Llorens, embaixador da marca e proprietário desta empresa familiar, estão destinadas ao Brasil aproximadamente 500 peças. O restante da produção, que não chega a 1000 peças, será vendida em outras partes da Europa. O Brasil tornou-se público alvo deste produto porque, segundo sr. Ramón, o potencial do mercado é muito grande, mas falta ao consumidor brasileiro informação e acesso ao poduto, que, como dito antes, nunca havia chegado por aqui.

Como os animais dessa safra comeram apenas as castanhas (Bellotas) a qualidade e a maciez da carne é excepcional. Quase nenhum sal é notado nas fatias, que são tenras e perfumadas. Cada animal comeu em média 550 kg de Bellota durante a época de produção das castanhas. Com 24 meses de vida, em média, os animais são abatidos e é feita a salga, na proporção de 1 dia de salga para cada kg do produto. E depois disso, é mantido em caves subterrâneas, com ventilação natural durante pelo menos 60 meses. O resultado não poderia ser nada mais do que o melhor jamón ibérico de que se tem notícias. O preço médio do kg faz jus ao trabalho e a excepcionalidade do produto: cerca de R$ 580,00.
Vale a pena conferir.

Onde encontrar

www.casaflora.com.br

Algumas Fotos

 

Texto: Cristina Neves
Fotos: Roberto Silva

Deixe seu Comentário!

comentários

Deise Novakoski

Atualmente, Deise Novakoski exerce a função de sommelière e bartender, trabalha como consultora na Academia da Cachaça e no Torna Pub e assina a coluna “Você tem Sede de Quê?”, publicada em seu site.